sábado, 9 de janeiro de 2010

OS ROMANCES DE ANTÓNIO LOBO ANTUNES


Nesta minha primeira coluna aqui no ContemporARTES farei uma pequena apresentação acerca da Literatura produzida por um dos autores portugueses mais importantes na contemporaneidade:António Lobo Antunes.

Lobo Antunes nasceu em Lisboa a 1º de setembro de 1942. Licenciou-se em medicina e especializou-se em psiquiatria. Durante a ditadura do governo chamado salazarista, Lobo Antunes serviu como tenente e médico do exército português na África, na mal sucedida guerra empreendida por Portugal com as colônias africanas, com objetivo de coibir o desejo dos africanos de independência.

O contato com violência, morte e sofrimento decorridos pela guerra, são marcantes nos romances Lobo-antunianos, na medida em que em alguns de seus romances ele revisita a história portuguesa a fim de expor as taras e impotências do povo português que, por anos, se escondeu por trás de uma versão um tanto heróica de um país que um dia foi um dos grandes impérios mundiais. Também são retratados nos romances deste autor os traumas de guerra, o retorno dos portugueses, que viviam na África, após a independência das colônias, a burguesia hipócrita, como também todos que participaram de alguma maneira das idéias difundidas pelo salazarismo, além da rápida mudança social ocorrida em Portugal após a Revolução dos Cravos (revolução que acabou com a ditadura) em abril de 1974, também são retratados nos romances deste autor.

Todos esses processos conflituosos apontados anteriormente, o autor espelha diretamente nas relações familiares de Portugal, nas quais as pessoas são retratadas na perda de seus referentes e de identidade.

Devemos ressaltar o fato de que nos romances deste autor encontraremos a vida refletida a partir de um material psíquico, a partir daquele que não somente vê, como também analisa a sociedade ao seu redor. Talvez por este motivo, e pelos outros anteriormente citados, as obras Lobo-antunianas foram e são altamente lidas, estudadas e traduzidas por todo o mundo.

Aqui no Brasil, seus romances constituem leitura obrigatória nas disciplinas de Literatura Portuguesa de diversas faculdades. Porém, nem todos seus livros possuem uma edição brasileira e aqueles que são editados no Brasil, o são há pouco tempo

Para ler as obras deste autor, o leitor tem que se esforçar, pois é comum encontrarmos mudanças de narrador, espaço, além de haver muitas digressões. A escrita é densa e a leitura é muito prazerosa, uma vez que há a possibilidade de se preencher as lacunas livrescas com a imaginação.

António Lobo Antunes já figurou na lista dos indicados ao Prêmio Nobel de Literatura, porém, até o momento, não foi agraciado com este prêmio tão importante, e recebeu o prêmio literário mais importante em Língua portuguesa, em 2007: O prêmio Camões.

Rodrigo Machado é Graduando em Letras pela Universidade Federal de Viçosa e escreve aos sábados no ComtemporARTES.

1 comentários:

Contemporartes disse...

Seja muito bem-vindo! Precisamos sempre de boa literatura.

9 de janeiro de 2010 22:42

Postar um comentário

Seja educado. Comentários de teor ofensivo serão deletados.