domingo, 5 de dezembro de 2010

Indícios de um fim de ano



É aquela época do ano de novo. Enfeites brilhantes espalhados pelas ruas, neve falsa que em nada lembra o sol de rachar sobre nossas cabeças, Jingle Bells em versões variadas tocando nas lojas e o comercial do especial do Roberto Carlos na TV não deixam dúvidas: o Natal chegou e, para todos os efeitos, o ano acabou.
O que isso indica? Além do fato de que o tempo vai ficar ainda mais quente e de que você provavelmente vai ganhar uns quilinhos depois das ceias, é tempo de trocar presentes. É o período de amigo-oculto (ou amigo-secreto, dependendo de onde você mora) entre pessoas que, muitas vezes, nem são tão amigas assim. Deixando de lado o sentido original e religioso da festa, é época de gastar dinheiro e dar/ganhar presentes.
Se você assina a newsletter de alguma loja online, se tem conta ativa no twitter ou lê o caderno de informática der algum jornal, já sabe: o iPad chegou ao Brasil. Como todo produto da Apple, causou muito frisson e, de ouvir dizer, parece que vai ser um sucesso de vendas. Mas, sinceramente, um aparelho que varia entre pouco mais de R$1600 a R$2599 não me parece uma opção viável de presente de Natal. Acredito no consumo consciente e sei que não preciso de um iPad, mas, me rendendo ao poder da publicidade, admito que adoraria ganhar um (mas tenho a impressão de que isso não vai acontecer)...

                      Steve Jobs, ano após ano pensando em um jeito de ganhar seu dinheiro
A graça de ganhar presentes não é, necessariamente, ganhar o que se precisa. O sentido do Natal não está nas compras, então você pode não querer ganhar nada também. Não tem nada de errado nisso, mas não quer dizer que seus parentes ou amigos também não queiram... Se você quer presentear, mas não está nadando em dinheiro (e acredito que a maioria de nós não está), sempre existem presentes simples e baratos, mas capazes de expressar muito sentimento.
Sou suspeita pra falar, mas acho que livros são sempre uma boa opção. Lojas virtuais vivem com promoções e o site Estante Virtual (que junta os acervos de sebos reais e virtuais) acumula uma quantidade enorme de livros novos e usados por preços bem amigos. Mas na hora de escolher o que vai dar preste atenção no futuro leitor, porque dar um determinado livro para alguém que você sabe que não gosta do gênero vai ser uma perda de dinheiro e de presente.
Para não errar nos presentes: livros!
Outra opção legal é dar “experiências”. Levar os pais para jantar fora (se for uma coisa que vocês nunca fazem), sair com o namorado(a) para um lugar onde ele sempre quis ir, mas você “puxava para trás”, juntar os amigos para ir naquele lugar que todo mundo tinha curiosidade de ir, mas faltava ocasião. 
É clichê, mas desses que se baseiam na realidade: muito mais do que dar/ganhar presentes, Natal é época de estar com quem se gosta. Se você não gosta do Natal (e isso é mais comum do que eu poderia imaginar), tudo bem também. Pense que o tempo passa rápido, os parentes não se demoram e logo janeiro chega. Aí, sua próxima preocupação vai ser o carnaval... 


 
Mônica Bento é jornalista, formada pela Universidade Federal de Viçosa (MG). Em seu trabalho de conclusão de curso estudou a função social das salas de cinema e desenvolveu a reportagem multimídia CineMemória.
É editora-assistente da Contemporâneos - Revista de Artes e  Humanidades.

1 comentários:

Ana Dietrich disse...

oi monica, bom ve-la por aqui... contemporarteando rsrsrs
gostei das dicas de presentes, as próximas poderiam incluir netbooks, estou louca para adquirir um...

Um bj grande

5 de dezembro de 2010 17:34

Postar um comentário

Seja educado. Comentários de teor ofensivo serão deletados.