segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Segunda Poética

Hoje reproduzo uma conversa poética entre eu e o poeta Adilson Alchuy. Pessoas passam e, às vezes, marcam tanto que, segundo Alchuy passam a viver em nós. Concordo com ele. Somos feitos de pedaços do mesmo universo de coisas: sentidos e sentimentos tornando-nos inteiros. Estamos presente de passado e futuro.

Abandono



Tenho um buraco de bala em meu seio, onde alimento teu pássaro, faminto de redenção.

Respiro por fumaças embotadas, expelidas por chaminés de meus vazios.

Mesmo sem te ver, ouço seu cheiro em blues.

Tapetes, mesas, sofás e ladrilhos do quintal, livres de crianças, transpiram em cavalgadas por caminhos sepultados.

Mergulho na escuridão!

Mordo seus dentes e engulo sua existência com miligramas de imipramina.

Rosana Banharoli

Janeiro/2008


Teu Quintal


teu quintal também enterra os mortos


lápides de ladrilhos

lembranças que se levantam num dia calmo...

as paisagens nascem da imipramina com raízes no vento

em teu quintal nasceram casas e um alicerce/

com fantasmas arrancando a chuva dos ossos de concreto!
teu quintal engana o inverno

e o verão suado das paredes de teu rosto

é apenas um espelho cheio de lembranças

e inocentes saudades...

Adilson Alchy
 Dezembro/ 2009
reserva.anuncios1@dgabc.com.br


Rosana Banharoli é e/ou transpira para ser poeta. Coordenadora deste blog.
rosana_banharoli@hotmail.com




1 comentários:

Ana Dietrich disse...

querida rosana, chegada de viagem, tive a agradável surpresa de ver as últimas postagens elaboradas com todo o carinho e criatividade da minha poeta andreense predileta (vc!) e adorei! O blog Contemporartes 2010 está muito melhor, mais ágil, mais dinâmico, mais CONTEMPORÂNEO, no sentido completo da palavra.
bjs e parabéns

19 de janeiro de 2010 12:18

Postar um comentário

Seja educado. Comentários de teor ofensivo serão deletados.