terça-feira, 27 de março de 2012

A CHUVA, A JANELA E EU


Finalmente o dia amanheceu nublado, preguiçosamente cinza. Coloquei as cachorras para fora, antes que a grama molhada as impedissem da voltinha matinal. Alimentei os gatos e fui a sacada ver do alto o que estava acontecendo na praça do outro lado da rua. Os marrecos gritavam uns com os outros, desesperadamente: “ Corram, corram, a chuva vai chegar logo, precisamos encontrar um abrigo seco e seguro”. E, em segundos, desapareceram pelos tuneis verdes de arbustos empoeirados, que estalavam ansiosos. Abaixo, no meu jardim, contemplei mais uma vez - como tenho feito há dias - o pássaro bicudo e alaranjado que está florescendo, a linda estrelícia que vagarosamente desperta em seu ninho de folhas verde-azuladas. Quando as primeiras gotas caíram de uma nuvem faceira que não conseguiu esperar pelas amigas, eu vi a estrelícia abrir o bico e saborear o puro líquido do regador celestial.

Acho que Ele nos presenteou com flores para sempre lembrarmos que temos alma, que existe muito mais importância nas Suas coisas do que nas que criamos. Entro no meu quarto, e porque não, como se adolescente fosse , volto a deitar-me, mas antes abro a janela e convido a paisagem a invadir meu dia como se fosse um quadro moldurado em madeira. Vejo a palmeira comprida por onde escorre a água da chuva, agora muito mais forte, e escuto a música torrencial que acusticamente me isola do mundo, transformando as paredes da casa em braços de mãe que me protegem.

Eu amo a chuva, quando os vizinhos param de gritar, os cachorros não latem, telefones não tocam e os jardineiros desligam os cortadores de grama. Pausa. Aproveito o momento de solidão para esquecer-me dos afazeres e das preocupações. Nada mais existe além de mim, a janela e a chuva. A água, que purifica e acalma, tem o poder de tirar todas as minhas dores. O sopro do vento conduz as folhas que marcham pela rua nessa manhã de sete de setembro.



Com as mãos, o vento lava os pés do mundo, em total humildade. O sol, hoje, está descansando no colo de outros povos, que o veneram depois de muitas águas. Aqui, o ar úmido entra em nosso corpo levando uma sensação de bem-estar aos pulmões tão cansados dessa seca recente. Água. Bendita água! Aos poucos,a chuva cessa e a paisagem refrescada continua a sorrir. Escuto, agora, não mais a água escorrendo pelos muros invisíveis do meu mundo, mas carros que passam vez ou outra, um vizinho caminhando com o netinho que gargalha ao pular as poças no meio-fio e pássaros a cantar. Um canto de celebração. Eles também são gratos por esse dia molhado, um oásis no meio da semana.




Simone Pedersen, formada em direito, escritora,  morou onze anos no exterior onde teve vivência multicultural e conheceu diferentes estilos linguísticos.Desde essa época já escrevia crônicas para os amigos sobre  a diversidade que vivenciava. Atualmente reside no interior de São Paulo  e, há dois anos,  participa ativamente de concursos literários,  tendo conquistado inúmeros prêmios  no Brasil e no exterior.Tem textos publicados em dezenas de antologias de contos, crônicas e poesias. É colunista do Folha de Vinhedo. Seus livros  Infantis “Vila Felina”, “Sara e os óculos mágicos”, “Conde Van Pirado”, “Vila Encantada”, "Coleção Pá-pum" e Coleção Fuá" foram lançados na Bienal de SP 2010, os últimos dois livros também ensinam a desenhar, foram todos ilustrados pelo renomado artista plástico Paulo Branco. Além de  “Fragmentos e Estilhaços” com contos, crônicas e poemas selecionados em concursos.Todos disponíveis na Livraria Cultura. Blog:http://www.simonealvespedersen.blogspot.com/

2 comentários:

SIMONE ALVES PEDERSEN disse...

Ana: obrigada pelo comentário e pelas lindas ilustrações.
"queridíssima, sensibilidade master, dava até para sentir a chuva e ver a névoa. o vento lava os pés do mundo. q lindo...
agora peço para escreva sobre essa sto andré que deu para ser paranapiacaba tal a neblina q recobre suas ruas mal anoitece.
bjs sempre na torcida ana"

5 de outubro de 2010 20:50
ContemporARTES disse...

querida, eu q agradeço que entre os quadros dessa revista posso contar com seus maravilhosos posts. saiba q aqui tens uma fã de carteirinha. bjs

6 de outubro de 2010 12:45

Postar um comentário

Seja educado. Comentários de teor ofensivo serão deletados.