quarta-feira, 28 de março de 2012

Inutilidades e afins

 

Hoje compartilho com vocês o V Capítulo do próximo livro de Thiago de Oliveira, filósofo, poeta, um amigo que encontrei na Casa da Palavra e que o destino tem traçado inúmeros encontros em saraus, festinhas e corujões madrugadas adentro. Ele faz parte de um pessoal que faz muito bem ao meu coração e que me faz entender que amizade pode combinar com muita diversão e com poesia.


Capítulo V do próximo livro: 
Tiago de Oliveira

Não sou uma pessoa prática, admito. Tenho este mau hábito de adiar afazeres. Repugno tudo o que é prático e estéril. Tenho mais afinidade com as inutilidades, sobretudo com as prazerosas... Pode-se mesmo deixar tudo para depois. Desculpe-me, não sou utilitarista. Não faço sexo apenas para procriar e tampouco somente pelo prazer, sou mesmo capaz de caminhar sem destino, conversar longamente pela madrugada silenciosa, e até mesmo me emociono com coisas que não servem para nada, danço dionisiacamente, corro e grito, e descarrego o fluxo do inconsciente para o mundo inteiro ouvir, leio um bom livro, risco suas páginas... Gosto mesmo é destas coisas inúteis. Durmo até o meio-dia, satisfaço meus vícios, vivo minhas orgias, mudo de repente de ideia e de humor, tenho crises cíclicas e tempestades emocionais... Abraço as pessoas, descubro algo fascinante e choro torrencialmente, lavo a alma, tomo chuva. Inutilidades...



Thiago de Oliveira é filósofo e professor de Ensino Médio.

1 comentários:

Marcos S. P. Euzebio disse...

Grande Thiago...

2 de abril de 2012 02:15

Postar um comentário

Seja educado. Comentários de teor ofensivo serão deletados.