segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Livros de Poemas para o Presente!

Poesia Com Sumo Feminino!
por Altair de Oliveira

Devido à proximidade do final de ano, quando um certo espírito natalino impele até os consumidores mais parcimoniosos a irem às compras, e devido também a um certo sentido de sobrevivência poética, a nossa coluna de "poesia como a vida" decidi mostrar aqui alguns trabalhos de poetas independentes, iniciando pelos trabalhos das poetas Flávia Perez e Marilda Confortin, numa tentativa de possibilitar que eles possam, de agora em diante, ser e estar mais presentes em nossas vidas!

Neste nosso tempo tecnocrata, onde a mídia da imagem reina absoluta entre nós, demonstrando incansavelmente sua soberania sobre a palavra, o hábito de comprar livros de poemas, que nunca foi popular entre nós, parece ter se tornado ainda mais raro. Prova disso é que os espaços de poesia nas editoras e nas livrarias têm sido reduzido ano a ano e, cada vez mais, temos ouvido poetas afirmarem que os leitores de poesias são os próprios poetas. Além disso, os poucos livros de poemas, que são lançados pelas grandes editoras, dificilmente passam da primeira edição.

Mesmo assim, a verdadeira poesia sempre parece imortal, jovial e cheia de graça com o passar dos anos. Ela é tão importante que qualquer outra arte ou ofício ou outro qualquer artíficio, sem poesia, perde a graça... O poeta sulmatogrossense Emanuel Marinho tem até um poema que diz "Poesia não compra sapato, mas como andar sem poesia?" Precisamos também perder a mania de só comprar livros de poetas mortos, porque os poetas que não conseguem viver não morrem. Poetas, só aparentemente, vivem de brisa.

Portanto, amigas e amigos meus, neste final de ano e nos próximos anos, vamos nos lembrar de comprar livros de poemas para manter a graça de poder ter poesia de presente e, desta forma, ter um futuro de poesia! Fiquem muito bem.


Dois Livros de Poemas para Presente!

- I -

Leoa Ou Gazela, Todo Dia é Dia Dela, de Flávia Perez.

Poesia, 2009, edição da autora, 104 pgs. R$ 24,00.


Quem é Flávia Perez?

A poeta Flávia Perez é bióloga, carioca radicada em Campinas, com mestrado em Microbilogia Agrícola pela USP, tendo publicado anteriormente "A Filha de Capitu" (poesia) e "Não Culpem Nelson Rodrigues" (contos), participou ainda da Antologia Poética “Vide – Verso”, da Editora Andross, venceu concursos nas comunidades literárias "Vale das Sombras" e "Concursos de Microcontos" e recebeu Menção Honrosa em concursos da Associação dos Escritores Niteroienses e do Sindicato dos Comerciários de Limeira.


O que já disseram dela:

"Flávia descobriu a sonoridade e o poder das palavras e brinca com ela em poemas que o leitor - e principalmente a leitora - pode se apropriar. Assim devem ser os poetas: entidades que dão voz ao universal produzindo música em palavras." - Betty Vidigal, poeta.

"Maga dos poemas sensuais, carnais, santos e profanos." - Heloisa Galves


Um Poema de Flávia Perez:


Sem Medo

Hoje creio
no olhar da tigresa,
nas unhas da fêmea
e no estrago que faz
a beleza.

Conheci meu poder:
até onde mando
ou calo
até onde peço
ou devoro
até quando ir
- se é longe -
ou se paro.

Descido
se desço à noite
ou se o dia
varo.

Ele ainda me arrepia,
mas não mais me controla
ele agora é escravo,
e eu a Senhora.

Poema de Flária Perez, In: "Leoa ou Gazela, todo dia é dia dela."


Como comprar "Leoa ou Gazela, todo dia é dia dela.":
http://www.livrariacultura.com.br/scripts/cultura/resenha/resenha.asp?nitem=13007730&sid=18986895111019440728966639&k5=151C6957&uid=
Ou através de email com a autora: mmfrufru@gmail.com

Ver mais no blog de Flávia Perez: http://tudoqpuderbyblabla.blogspot.com/


***

- II -

Busca e Apreensão, de Marilda Confortin.


Poesia, 124 pgs, 2010, editora Protexto, R$ 29,00


Quem é Marilda Confortin?

Marilda Confortin, poeta nascida em Chapecó-SC em 1956, radicada em Curitiba desde 1975. Formada em análise de sistemas pela UFPR, a poeta iniciou divulgar seu trabalho através de letras de músicas nas décadas de 80 e 90 e a partir de 2001 já publicou 5 livros de poemas antes deste "Busca e Apreensão" que é uma coletânea de seus melhores poemas e traz também poemas inéditos. Marilda participou de várias antologias e ganhou alguns prêmios literários.


O que já disseram dela:


“Busca e Apreensão, de Marilda Confortin, é um dos mais significativos lançamentos editorais deste ano, no gênero poesia. Reúne os melhores poemas da autora curitibana, de sua vasta produção da última década. O que caracteriza a obra não é a busca da unidade temática ou de estilo. Porém, a busca e apresentação de um múltiplo painel que compõe a notável diversidade dos cometimentos da autora.” - Ricardo Alfaya
"Marilda é uma especialista nos terrenos mínimos do texto." - Altair de Oliveira, poeta. (eu mesmo).





Um poema de Marilda Confortin:


COM FUSÃO

Impregnaste-me feito o perfume
que uso diariamente no corpo inteiro.
És parte de minha rotina, meu costume.
E já nem sei se é meu ou teu este cheiro,

Às vezes não reconheço minhas teorias.
Noutras, encontro-me nas tuas, me intrometo.
Confundo nossos textos, acho que me plagias.
E já nem sei se meu ou teu este soneto.

Te amo como se amam seres abstratos:
anjos, demônios, musas, fadas.
E já nem sei se é minha ou tua esta fala.

Temo conferir nossos extratos,
nossos saldos, perdas, segredos.
Mas já não sei se é meu ou teu este medo.


Poema de Marilda Confortin, In: "Busca e Apreensão".



Como Comprar "Busca e Apreensão":

Editora Protexto http://www.protexto.com.br/livro.php?livro=317
ou solicite por email com a poeta: marildaconfortin@yahoo.com.br

Para ver Poetrix de Marilda Confortin: http://www.youtube.com/watch?v=0Y7EK1N9c-E&feature=related



Ilustrações: 1- foto de hipotéticos livros de poemas para presente; 2- capa do livro "Leoa ou Gazela, todo dia é dia dela"; 3- foto da poeta Flávia Perez; 4- capa do livro "Busca e Apreensão"; 5- foto da poeta Marilda Confortin.


Altair de Oliveira (poesia.comentada@gmail.com), poeta, escreve quinzenalmente às segundas-feiras no ContemporARTES a coluna "Poesia Comovida" e conta com participação eventual de colaboradores especiais.

4 comentários:

liza sousa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
liza sousa disse...

parabéns poeta!
peço desculpas por me apropriar indevidamente da tua fala não resisti!
"O poeta sulmatogrossense Emanuel Marinho tem até um poema que diz "Poesia não compra sapato, mas como andar sem poesia?"
Realmente, como viver sem algo que alimenta a alma e torna a vida tão mais leve e bonita?
os poemas são lindos!
obrigada

9 de novembro de 2010 09:58
liza sousa disse...

Nobre poeta,
peço desculpas por me apropriar indevidamente da tua fala não resisti!
"O poeta sulmatogrossense Emanuel Marinho tem até um poema que diz "Poesia não compra sapato, mas como andar sem poesia?"
Realmente, como viver sem algo que alimenta a alma e torna a vida tão mais leve e bonita?
os poemas são lindos!
obrigada

9 de novembro de 2010 10:17
Betty disse...

Olá! Entrei aqui agora e vi trecho do prefácio q fiz para o livro da Flávia, mas com 2 modificações q configuram erros de sintaxe! O q escrevi foi: "Flávia descobriu a sonoridade e o poder das palavras e brinca com elas em poemas de que o leitor – e principalmente a leitora – pode se apropriar."

O "ela" no singular e o "de que" trocado por "que" transformaram o texto em algo q eu jamais escreveria... Q tal corrigir o post? --- e depois, se quiser, pode apagar esta msg.... Pois ela se tornará desnecessária!

obrigada!

13 de setembro de 2012 17:13

Postar um comentário

Seja educado. Comentários de teor ofensivo serão deletados.