segunda-feira, 12 de março de 2012

SONETEANDO...

SONETEANDO...         
Definição do Houaiss

SONETO: pequena composição poética composta de 14 versos, com número variável de sílabas, sendo o mais frequente o decassílabo, e cujo último verso (dito chave de ouro) concentra em si a ideia principal do poema ou deve encerrá-lo de maneira a encantar ou surpreender o leitor [Pode ter a forma do soneto italiano (o mais praticado) ou do soneto inglês.]

                                                   --- x ---

Longe de mim ser um sonetista. Sou, sim, um incansável experimentador desse imenso e variado uni.verso da expressão literária. Ou como diria: sempre aprendendo novas maneiras de me expressar.

Acho que fiz direitinho a lição de casa. Veja o que acha! Espero que goste!




Abraços literários e até +!

14 comentários:

Blog do Piaia disse...

Esse seu soneto é muito bom. Aliás, como tudo que vc faz.
Sempre bom começar a semana lendo sua coluna.

12 de março de 2012 10:22
geraldo trombin disse...

Valeu, amigão! Vamos seguindo! Abraços

12 de março de 2012 10:42
Sandra Rainha disse...

Ge, meu poeta preferido, continua cheio de inspiração. Bjs.

12 de março de 2012 10:49
Maria disse...

Dar os parabéns, deixar mensagem recheada de elogios é ser repetitiva.
Mas como em tudo nesta vida se mantém em constante evolução,
teus textos também evoluem e nos mantém cativos em admirá-los.
Espero novo e merecido livro.

Eu uma simples fiel amiga e fã,
Maria Mirian

12 de março de 2012 12:36
geraldo trombin disse...

Obrigado, Sandra e Maria... Obrigado pelas palavras e também pelo incentivo..
bjos

12 de março de 2012 14:01
Dema disse...

Eu contei e tem mesmo 14 versos. Ta aprovado.

12 de março de 2012 20:25
leila seleguini disse...

è bom ler vc soneteando, delícia! abraços!

13 de março de 2012 11:06
geraldo trombin disse...

ehhh Lemão... só fazendo as contas aí, hein! Gracias


Leila, bom ter você por aqui...

13 de março de 2012 14:04
Mariângela disse...

eita! Esse poeta é muito talentoso mesmo!
Me faz viajar nos sentidos e nos ritmos,
perfeitos .
Dá pra sangrar na cadência dos sentimentos arredios
e gostar.
Você é um grande poeta, Ge!
Te admiro muito.
Obrigada por compartilhar.
beijos

13 de março de 2012 22:19
geraldo trombin disse...

mensagem do amigo Mario Bonzanini:

Belos sonetos, tristes, mas belos... daqueles que dão umas sonetadas n’alma e importunam. Esse é o lance, pois mar calmo dá preguiça e tédio. Abs, Mario

14 de março de 2012 10:18
geraldo trombin disse...

Má, vamos sempre compartilhando e aprendendo com os comnetários. Bjos

Marião, a mais pura verdade: mar calmo da preguiça e tédio. Abração

14 de março de 2012 10:43
geraldo trombin disse...

comentário do amigo Deva, que novamente não conseguiu postar aqui. Gracias ao amigão das letras.
--------------------------
É senso comum que o soneto define bem a poesia. Também caracteriza por tradição o que é ser poeta. Mas não é fácil fazer um soneto. Suas exigências formais requerem habilidade para que a expressão poética se manifeste.

Gera se sai bem na tarefa. Com sua aplicação prazerosa, torna fácil o difícil e leve o pesado.

Deva

15 de março de 2012 10:48
Cris Dakinis disse...

Ô Amigão poeta! Tardo a visita, mas venho te saudar! Tudo sempre lindo o que vc escreve. Um grande abraço :)

15 de março de 2012 18:11
geraldo trombin disse...

Oi amiga, seja sempre bem-vinda... E vamos seguindo o caminho das letras... bjo

16 de março de 2012 19:05

Postar um comentário

Seja educado. Comentários de teor ofensivo serão deletados.