segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Retrato II



A Cecília Meireles



Eu também não tinha este rosto
assim tenso, assim denso, assim calvo,
nem olheiras e rugas
nem cabelos alvos.

Eu não tinha estes olhos de agora
tão rubros, tão turvos, tão vagos,
nem esta mão incerta,
nem dedos fracos.

Mal venho notando esta mudança
que lenta, constante e suave
do espelho vem desbotando
a minha face.

Abilio Pacheco
abiliopacheco@bol.com.br

1 comentários:

Vilma disse...

Prezado Abílio,o tempo que convola todas as coisas do mundo,o melhor juiz de todas as causas!
Saudações literárias,Vilma Belfort.

31 de agosto de 2009 23:43

Postar um comentário

Seja educado. Comentários de teor ofensivo serão deletados.