segunda-feira, 26 de julho de 2010

Pequena Entrevista com Lúcia Gönczy

A poeta LÚCIA GÖNCZY
por Altair de Oliveira


Quem puder ter o prazer de conhecer a poeta e articuladora cultural paulista Lúcia Gönczy certamente irá constatar que se trata de uma pessoa especialíssima, que tem como um de seus principais combustíveis à poesia. Geralmente simpática e de um humor-refinado, uma das principais marcas da poeta é a sua prontidão nas lutas das causas artísticas e culturais. Nos últimos anos, Lúcia tem articulado, apoiado, incetivado e divulgado diversos eventos de poesia e de música independente, tais como saraus, exposições, lançamentos e shows. Não raro, a poeta participa também de eventos literários de poesias em vários pontos do país e daí geralmente contata novos artistas ou grupo de artistas, que acabam podendo contar com a ajuda da poeta quando vêm divulgar seu trabalho em São Paulo.

Moderna, concisa e lírica; a poesia de Lúcia Gönczy é geralmente intimista e tem ímpetos de traduzir, sempre que possível, o que a comove ou a inquieta. Com um forte acento feminino, seu poemas trazem também imagens, sons e ritmos que buscam captar os momentos intensos e bonitos da vida, daquilo que ela tem de melhor, sua poesia. Vem talvez daí, a vontade latente que a poeta tem em ajudar mostrar trabalhos artísticos de pessoas que ela mal conhece, mas que sabe que operam, muitas vezes no anonimato, por uma vida com mais arte e poesia. Coisa que ela, apaixonadamente, preserva. Quando escreve, Lúcia declara agir mais por inspiração do que por uma composição cuidadosamente planejada, uma poesia sem maquiagem. Esta forma de escrever não garante portanto que seus poemas sejam melhores que os que supostamente ela teria que suar mais a camisa para escrever, mas faz com que eles sejam mais honestos.

Nesta semana, trouxemos aqui um pouco da produção poética de Lúcia e também uma pequena entrevista que ela gentilmente nos concedeu, a qual temos aqui um grnade prazer de compartilhar.



Quem é Lúcia Gönczy?


Lúcia Gönczy é paulistana, poeta e produtora de eventos diversos no ramo das Artes. É coordenadora musical do Proyecto Cultural Sur Paulista. Participou de 4 Antologias (Congresso Brasileiro de Poesia - Proyecto Cultural Sur - 2007/2008), II Antologia Confraria dos Poetas(2008) e 1 Prefácio - P.O.E.M.A.S (2009, Editora Mattos). Apresentou-se em diversos espaços da cidade, como Casa das Rosas, Sopa de Letrinhas, Sarau da Camarilha dos 3, Sarau P:PP, Politeama , Parque da Aclimação, Hospital Brigadeiro, Hospital São Matheus, bares, pubs, agitos culturais diversos... Escreve para seu blog (http://luciagonczy.blogspot.com/), Projeto palavra Porrada, Clube Caiubi de Compositores (Sopa de Letrinhas), Leo Lobos, Planeta Literatura, Recanto das Letras, blogs de amigos da Cultura, como o poeta Altair de Oliveira.


PC- Gostaria que você nos falasse um pouco sobre a sua infância. De como a menina Lúcia encontrou com a poesia e o que aconteceu para ela decidisse adotá-la para a sua vida?
LG- Venho de uma família ligada às Artes; principalmente Música, Literatura e Artes Plásticas. Portanto, tive uma infância onde o desenho e, posteriormente, a escrita, foram minha principal referência.

PC- Poderia falar-nos sobre esta tua descendência húngara e se ela influenciou na tua formação cultural?
LG- Bom, uma educação mais de 50% européia, costuma influenciar muito na formação cultural e pessoal; aprendemos que os valores básicos, aqueles que nos sustentarão pelo resto de nossas vidas, estão intimamente ligados aos princípios morais, éticos e filosóficos.

PC- O que é poesia para você? E porque esta necessidade de guardá-la em poemas e até em publicá-la?
LG- Poesia é algo natural; intrínseco; latente. Quanto à necessidade, não sei... Acho que a minha, é a mesma que a sua e a de todo mundo. É um processo, só isso.

PC- Você sempre esteve de alguma forma envolvida com a poesia, mas por que só recentemente decidiu divulgar os seus escritos?
LG- Sempre. Tenho poeminhas que fiz com 7 anos de idade. Escolhi divulgá-los agora, porque é o momento; nunca tive pressa.

PC- Quais os principais poetas que você gosta de ler, os que admira ou lhe inspiram?
LG- Ah, essa é difícil. Tanto na música como na poesia, sou eclética; gosto de tudo, ou quase tudo. Mas, como referência, citarei alguns atuais: Paulo Leminski, Hilda Hilst, Adélia Prado, Gilka Machado, Carpinejar, Caio Fernando Abreu, Guimarães Rosa, e por aí vai...

PC- Gostaria que falasse-nos um pouco sobre o teu processo de escrita poética. Quais os passos de sua configuração? Qual a porcentagem de inspiração e de transpiração utilizada neste processo?
LG- Não tem processo. Como citei acima, o poema existe desde sempre; está apenas adormecido. Escrevê-lo é expulsá-lo - um parto, entende? Sinto-me grávida de poemas.

PC- Além das atividades de dona de casa, você exerce outras atividades, entre elas a de promotora cultural independente, onde promove e apoia eventos de poesia e de música em espaços oficiais e alternativos. Gostaria que falasse-nos um pouco sobre este trabalho. Que tipo de retorno você obtém daí?
LG- Além de tudo, sou uma pessoa muito mística e curti uma comparação feita por uma amiga: "Lúcia tem algo a ver com o Terceiro Raio- Rosa." Isto é, sou alguém que está sempre pronta a descobrir talentos e ajudá-los a encontrar seu lugar ao Sol; lugar este que deveria ser fácil e de direito, mas nem sempre o é. Meu retorno financeiro é, praticamente ou nenhum. Nulo. Trabalho por Amor, por mais incrível que isso possa parecer, atualmente.

PC- Sabemos que você tem participado de várias antologias de poesia e que tem divulgado o seu trabalho em sites e em eventos de poesia e que está preparando o teu primeiro livro de poemas. Poderia falar-nos um pouco sobre o livro e sobre quando o poderemos tê-lo em mãos?
LG- Estou. Tenho material para uns 3 livros, mas isso é, financeiramente, inviável. (não deveria). Não tem mistério; será um livro de poemas, óbvio, com alguns textos - coisa que também gosto muito de fazer. Quanto à publicação, se dependesse de mim, estaria pronto "ontem", mas penso que, até o final deste ano ou início de 2011.


POEMAS


Grau


sorte sua,
a minha
hipermetropia.
por conta disso,
de perto,
nunca enxerguei
direito
seus defeitos.

Poema de Lucia Gönczy


***

saí de mim
entrei
em
você
de repente
tudo
parecia
transparente

aconteceu

inevitável

me ferrei

agora
entro
em
mim
sem você

evitar
não
posso

levitar sim!

Poema de Lucia Gönczy

***

véu



em
linha
reta
leio
tua
retina

Poema de Lucia Gönczy

***

o arquiteto do momento capta
sua rota de fuga
ainda que dentro dela exista
deseja palavras simples
sem construções mirabolantes
verdades implícitas
por isso a paisagem
não é mais nossa
viajou
virou estrela
desintegrou.

Poema de Lucia Gönczy

***

condicional


para a moldura
[paredes]

para o silêncio
[a fúria das cores]

para a liberdade
[o ventre]

para a vida
[intensidade]

no caminho

[somente]

aqueles que pulsem juntos


Poema de Lucia Gönczy

***

À flor da pele



Percebo
seu desalento
que aos poucos
sorve o meu ser

E olho
com olhos de lince
o gato
que existe em você

O peixe
deixo pra ceia
e cerceio
a cerca que anseias

Que tens de ser
do meu ser


Poema de Lucia Gönczy

***

adoro quando diz meu nome
não importa a hora nem as flores
adoro quando tudo se disforma
e o grito sai mudo quase a queima roupa
adoro quando seu pensamento me toca
e triste me acha ausente
são nestes momentos, exatamente,
em que me acho mais presente

não negue: Você SENTE!


Poema de Lucia Gönczy

***


Evento Literário da Semana em São Paulo:


SARAU POÉTICO "QUINTA POÉTICA" - NÃO PERCAM!

Local: CASA DAS ROSAS - Avenida Paulista, 37 - Metrô Brigadeiro
Quando: Quinta-feira (29/07/2010), a partir das 19:00 hs.
Nota: Com a participação da poeta LÚCIA GÖNCZY


Ilustrações: 1- foto da poeta Lúcia Gönczy; 2- outra foto da poeta; 3- Trabalho do russo Marc Chagal; 4- Gato amarelo com flor, de Aldemir Martins.


Altair de Oliveira (poesia.comentada@gmail.com), poeta, escreve às segundas-feiras no ContemporARTES. Contará com a colaboração de Marilda Confortin (Sul), Rodolpho Saraiva (RJ / Leste) e Patrícia Amaral (SP/Centro Sul).

10 comentários:

Leo Lobos disse...

Mis saludos desde Santiago de CHILE.

Un agrado, más que ello un gusto, encontrar a esta poeta y amiga maravillosa del Brasil de nuestros días. Lucia posee una sensibilidad e inteligencia que nos conceta y dibuja como el mar un horizonte azul.

abrazo,

Leo Lobos

26 de julho de 2010 14:54
Angelo disse...

É um imenso prazer conhecer mais um pouco de tudo aquilo que eu já sabia. Razão pela qual sou fã incondicional de Green Eyes, como carinhosamente a chamo.

Meus cumprimentos ao Altair, pela entrevista, e mais um (adicionado aos muitos) a você, Lúcia.

26 de julho de 2010 16:31
Quelyno Souza disse...

Caro escritor Altair de Oliveira;
De primeira qualidade e oportuna demais a entrevista com a poetisa Lúcia Gönczy. Parabéns pela entrevista. Lúcia é dona de uma linguagem gostosa demais de se ler.
O meu cordial abraço,
Quelyno Souza

26 de julho de 2010 16:57
Assis de Mello disse...

Que bom ler essa entrevista da Lucia. Ela está no meu orkut, no meu facebook, recebo as postagens dela direitinho, mas no fundo a gente mal se conhece. Coisas da modernidade, talvez. Acompanho sim sua "militância" pela arte, pela cultura, sempre leio seus poemas e já tinha notado seu olhar mais enigmático do que o da Monalisa, mas confesso que esta "pequena entrevista" foi fundamental. Excelente !

27 de julho de 2010 00:47
Leonora disse...

Muito bem, Altair, você "pintou" a Lúcia super bem! Também, o "material" ajuda, né? :)
Mas vou completar o grupo de poemas com um dela dos que mais gosto!

Abraço grande pra esses dois queridos!

.................................
Nada de perder a fome nem o sono
[o sol brilha impreterível]

Nada daquela dor no peito
[arder até o fim - esmiuçar as cicatrizes]

Nada de decepção
[a entrega consentiu-se]

Nada de cobranças...
[foi o preço do apego]

27 de julho de 2010 00:52
Armila disse...

Maravilha! Prazer em conhecer Lúcia Gönczy.Poemas lindos!

27 de julho de 2010 02:26
Flá Perez (BláBlá) disse...

adorei saber mais de LÚCIA

te amo, bjbjbjbj

27 de julho de 2010 18:00
Altair de Oliveira disse...

Thanks a todos pelas opiniões carinhosas que confirmam a poeta "show-de-bola" que a Lúcia é! Precisamos agora fazer um lobby junto ao "deuses e deusas da poesia" para que ela agilize a publicação de seu livro e, desta forma, poderemos ter os poemas delas sempre à mão!!!

27 de julho de 2010 19:38
Lúcia Gönczy disse...

Quero agradecer, primeiramente, ao meu amigo Poeta Altair de Oliveira pelo convite para essa reportagem. Ficou excelente; mais do que eu mereço. E aos amigos que por aqui passaram, só tenho uma coisa a dizer: SORTE minha ter amigos tãos especiais. Amo todos vocês. Muito, muito obrigada.

Lúcia Gönczy

28 de julho de 2010 13:49
Vanessa David Justo disse...

Parabéns, Lúcia e Altair!
Texto gostoso de se ler!

Vanessa David

21 de agosto de 2010 17:56

Postar um comentário

Seja educado. Comentários de teor ofensivo serão deletados.