segunda-feira, 15 de agosto de 2011

INDRISO E OUTROS VERSOS DIVERSOS

Criado pelo poeta Isidro Iturat, o indriso é um poema composto de dois tercetos e duas estrofes de verso único (3-3-1-1), que permite um uso livre da rima e o número de sílabas nos seus versos. (Fonte: http://www.indrisos.com)

Minha primeira incursão nessa modalidade poética traz bons frutos com o poema CABIDELA HUMANA, no 2º Concurso de Poesia “Poetizar o mundo”.



Outros poemas


ESPECTRO URBANO
 
Aspecto?
De espectro.
Seres
Solarizados,
Inanimados,
Horrorizados.
Uma tela,
Uma cela,
Existência que não sela.
Cancela.
Procela.
Sombra
Que assombra
Os ombros,
Levitando
Sobre os próprios pés.
Escombros
Cinzas ao invés
Do matizado fervor
Do olhar furta-cor!
 
Aspecto?
Espectro da urbe,
Da vida que não insiste,
Não ressurge.


CÉU VERDE
 
Que belo dossel!
Sonhar é não mais tirar
Os olhos do céu!


 
Abraços literários e até +.


6 comentários:

edweinels disse...

Dominar a arte poetica e para poucos, e Geraldo consegue faze-lo com maestria. Parabens, Poeta. Abracos.

15 de agosto de 2011 08:46
Blog do Piaia disse...

Além do brinde de sensibilidade, essa coluna é sempre uma aula de literatura.

15 de agosto de 2011 09:08
geraldo trombin disse...

Obrigado, Ed e Piaia, pelo carinho. Abraços

15 de agosto de 2011 14:13
Jussára C Godinho disse...

Seus Poemas são uma mescla maravilhosa de sonoridade, imagens e criatividade!
Parabéns, amigo!
Ju

15 de agosto de 2011 22:18
geraldo trombin disse...

Valeu, Ju... Vamos caminhando, escrevendo e tentando melhorar...

16 de agosto de 2011 08:44
Cristina disse...

parabéns poeta. sempre criativo!!! Abraços

20 de agosto de 2011 13:17

Postar um comentário

Seja educado. Comentários de teor ofensivo serão deletados.