segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

ADEUS, MEU VELHO!



Texto de 2010, mas atual... Vale o repeteco. Vale novamente a reflexão.


Abraços Poéticos e que venha o novo de novo.
Feliz 2014.



11 comentários:

Cinthia Kriemler disse...

Crônica deliciosa e completa! É assim mesmo, "ele" assiste ao que nos acontece e se esvai em pressas. O bom, o ruim, tudo agora fica para o próximo. Mas a gente sempre deseja que sejam só coisas boas. Fecho de ouro, este texto! FELIZ 2014!

30 de dezembro de 2013 09:31
geraldo trombin disse...

Se esvai em pressas e a gente vai sem observá-lo... que 2014 a gente ganhe outro olhar... só para as coisas boas realmente... FELIZ 2014 pra você também, Cinthia!

30 de dezembro de 2013 09:45
edweinels disse...

Que delicia de Cronica, amigo. Feliz Ano Novo e aplausos paar 2014, a quem voce presta aqui uma homenagem magistral. Abracao.

30 de dezembro de 2013 09:50
Sônia Barros disse...

Geraldo, aproveito essa gostosa leitura que você nos proporciona, para lhe desejar um Feliz 2014!
Um grande abraço!

30 de dezembro de 2013 12:06
geraldo trombin disse...

Obrigado, Edweine e Sônia. Que 2014 seja de muitos projetos e sonhos realizados, de muita paz e saúde, de muitas alegrias... Abração

30 de dezembro de 2013 13:06
cecilia disse...

Como sempre, vai o velho pra ralo e a gente empurra as esperanças por novo... até o novo ficar velho. Sensacional como sempre, você, Geraldo. Parabéns!!

30 de dezembro de 2013 13:07
geraldo trombin disse...

Obrigado, Cecília... é o círculo da vida... beijos

30 de dezembro de 2013 13:10
Anônimo disse...

Crônica temporal ao final de ano mas também atemporal. Essa sensação de que o tempo nos escapa de tão rápido que passa. Mas, segundo a física relativística, nossa condição é ainda mais difícil, angustiante: nós é que passamos e não o tempo. Momento certo para reflexões nos dois últimos dias de 2013. Adeus ano velho! Feliz ano novo para você, Gera, e para todos que o acompanharam ao longo do ano que finda e que certamente também o acompanhará no ano que começa em breve, dentro de algumas horas.

Deva

30 de dezembro de 2013 16:52
geraldo trombin disse...

Já dizia Caetano na famosa Oração Ao Tempo:

És um senhor tão bonito
Quanto a cara do meu filho
Tempo tempo tempo tempo
Vou te fazer um pedido
Tempo tempo tempo tempo...

Compositor de destinos
Tambor de todos os ritmos
Tempo tempo tempo tempo
Entro num acordo contigo
Tempo tempo tempo tempo...

Por seres tão inventivo
E pareceres contínuo
Tempo tempo tempo tempo
És um dos deuses mais lindos
Tempo tempo tempo tempo...

Que sejas ainda mais vivo
No som do meu estribilho
Tempo tempo tempo tempo
Ouve bem o que te digo
Tempo tempo tempo tempo...

Peço-te o prazer legítimo
E o movimento preciso
Tempo tempo tempo tempo
Quando o tempo for propício
Tempo tempo tempo tempo...

De modo que o meu espírito
Ganhe um brilho definido
Tempo tempo tempo tempo
E eu espalhe benefícios
Tempo tempo tempo tempo...

O que usaremos pra isso
Fica guardado em sigilo
Tempo tempo tempo tempo
Apenas contigo e comigo
Tempo tempo tempo tempo...

E quando eu tiver saído
Para fora do teu círculo
Tempo tempo tempo tempo
Não serei nem terás sido
Tempo tempo tempo tempo...

Ainda assim acredito
Ser possível reunirmo-nos
Tempo tempo tempo tempo
Num outro nível de vínculo
Tempo tempo tempo tempo...

Portanto peço-te aquilo
E te ofereço elogios
Tempo tempo tempo tempo
Nas rimas do meu estilo
Tempo tempo tempo tempo...

-------------------------------------

Adeus, Meu velho! Feliz novinho em folha, Deva... E que continuemos também presentes em 2014... Forte abraço... Gera

31 de dezembro de 2013 08:29
Anônimo disse...

Até o ano que vem!!!!!
Abraços e saúde a todos os criadores e leitores.
Arnônimo

31 de dezembro de 2013 16:12
geraldo trombin disse...

Valeu, Arnônimo!

9 de janeiro de 2014 22:05

Postar um comentário

Seja educado. Comentários de teor ofensivo serão deletados.