segunda-feira, 21 de abril de 2014

ELAS, "PERFUMISTERIOSAMENTE" INEBRIANTES


ELAS, "PERFUMISTERIOSAMENTE" INEBRIANTES

Esta segunda começa  caliente, sedutora, inebriante e "perfumisteriosamente" você, mulher!



Abraços poéticos e até +.



8 comentários:

edweinels disse...

Inebriante, sua bela Poesia, Geraldo. Parabens!

21 de abril de 2014 10:16
geraldo trombin disse...

Valeu, Ed! Muito obrigado!

21 de abril de 2014 11:37
Anônimo disse...

Ual !!!!! Fatal !!!!!

Arnônimo

21 de abril de 2014 14:42
geraldo trombin disse...

Grande Arnônimo, gracias!

21 de abril de 2014 19:58
cecilia disse...

Maravilha, Geraldo! Suas precipitações nada precipitadas acabaram por me precipitar num abismo de encantamento. ADOREI!! Parabéns!

21 de abril de 2014 21:30
geraldo trombin disse...

Obrigado, Cecília... sempre com variações temáticas para treinar nas precipitações... :)

22 de abril de 2014 06:52
Anônimo disse...

O desejo expresso pelo olhar da linguagem poética. Os versos como que passam a língua pelo corpo. Revelam as pulsões mais íntimas quando trazidas à superfície, em forma de excitantes poemas.

Deva

22 de abril de 2014 09:56
geraldo trombin disse...

versos labiolinguais, bilabiais, labiodentais e outros ais... Valeu, Deva :)

22 de abril de 2014 13:06

Postar um comentário

Seja educado. Comentários de teor ofensivo serão deletados.