sexta-feira, 28 de agosto de 2015

PARA QUEM AMA GATOS...





Há alguns dias vi um cartaz no meu bairro que me comoveu profundamente. Era sobre um gato desaparecido e dono oferecia uma recompensa para quem o encontrasse ou soubesse do seu paradeiro. O cartaz tinha a foto do gato, sua descrição, nome do gato e dados para contato. Porém, após o nome, entre parênteses, o dono tinha escrito (que eu amo!). Ou seja procura-se gato de nome tal (que eu amo!).  Aquelas palavras entre parênteses me deram a dimensão da relação entre os dois e no quanto de amor pode haver entre os gatos e seus donos. Então como não podia fazer mais nada, rezei sinceramente a São Miguel Arcanjo (protetor dos felinos) para que esse gato tão amado seja encontrado logo.



Só quem tem gato sabe o quanto eles são especiais. Infelizmente, o senso comum diz que esses animais são egoístas, frios, calculistas e não sabem amar. Se comparados aos cachorros, que são sempre esfuziantes e transmitem alegria só com o olhar, de fato, os gatos são mais sérios. Em sua defesa, porém, tenho que dizer que os  gatos são extremamente amorosos, companheiros, delicados e  brincalhões. Porém, não são tão disponíveis. Gatos precisam ser conquistados. Não dão amor assim, de primeira. Eles exploram o território, vão conhecendo as pessoas, estudando suas reações e depois, lentamente, vão se entregando. Mas quando se entregam, demonstram um tipo de amor tão sutil, tão raro e tão especial, que te conquista para a vida toda. Porque os gatos são grandes conquistadores.




Eu tenho dois gatos. Então pensei em como me sentiria se um deles sumisse. Seria desesperador. Não é exagero dizer, que eles são, com certeza, uma das grandes alegrias da minha vida.  E são uma companhia constante, solidária e amorosa. Quando escrevo, geralmente à noite, quando todos já estão dormindo, os dois  estão sempre junto comigo, um em cada cadeira, ou ambos na mesma cadeira ou ainda, os dois no meu colo.




Um deles, o Gatinho, é mais possessivo, ciumento e passional. Já o Mingau (ou Gatão) é completamente diferente. Super zen, tranquilo, equilibrado, generoso, disponível e dorminhoco. Não fala muito, raramente conversa, ao contrário do Gatinho, que fala o tempo todo. Aliás, ultimamente, cada vez que saio de casa e demoro um pouco para voltar, quando chego, tenho escutado longos sermões do Gatinho, em tom de reclamação. Cada um dos meus gatos têm uma personalidade diferente, embora sejam muito parecidos fisicamente. Sempre tive gatos e posso dizer que viver com gatos é exercitar a delicadeza e experimentar a felicidade.



 Todos os gatos são lindos. Olhar para eles é ver a beleza em forma bruta, sem nenhuma máscara. Não há vaidade nos gatos, que sem noção da beleza estonteante que possuem, apenas aproveitam sua existência. Sua rapidez, elasticidade e elegância, aliado à profundidade magnética dos olhos, tornam os gatos uma das maravilhas da natureza.
Há muito os gatos encantam os humanos e assim continuará, pois eles são criaturas admiráveis!


O mercado editorial descobriu que a temática dos gatos é uma das mais aceitas. Há muitos livros para quem ama gatos. Destaco dois, que adquiri recentemente e são de fato, uma preciosidade: O Gato Filósofo, de Kwong Kuen Shan, que reúne quarenta lindas aquarelas de gatos à frases da sabedoria chinesa. 







E na onda dos livros de colorir, o Gatoterapia, cujos desenhos convidam a colocar a mão na massa, ou melhor, nos lápis de cor.







 “Gatos amam mais as pessoas do que elas permitiriam. Mas eles têm sabedoria suficiente para manter isso em segredo.”
Mary Wilkins, romancista



“Existem duas maneiras de nos refugiarmos das misérias da vida: música e gatos.”
Albert Schweizer, músico, filósofo e médico








Vanisse Simone é doutoranda em Educação pela UFPR, co-editora da Revista Contemporartes e assina a coluna Planetário. Nem é preciso dizer que é louca por gatos!

  

3 comentários:

Francisco Cezar de Luca Pucci disse...

Que posso dizer além de miau? Parabéns pela crônica.

29 de agosto de 2015 17:06
Vanisse Simone disse...

Obrigada Francisco. Um grande abraço.

31 de agosto de 2015 19:20
Sandra Maria Silva Oliveira disse...

Lindo seu texto, parabéns!!!Também amo gatos, e sei como são amorosos e especiais!!!

24 de janeiro de 2016 03:01

Postar um comentário

Seja educado. Comentários de teor ofensivo serão deletados.