sexta-feira, 25 de setembro de 2015

A VIAGEM MUSICAL DE JUNKO UENO GARRETT / THE MUSICAL JOURNEY OF JUNKO UENO GARRETT / JUNKO UENO GARRET の 音楽の旅


A pianista japonesa Junko Ueno Garret se apresentou na Capela Santa Maria em Curitiba, com participação de membros da Orquestra da Escola de Música e Belas Artes do Paraná – EMBAP - UNESPAR, sob a regência do Maestro Paulo Barreto no dia 22/09.


The Japanese pianist Junko Ueno Garrett has performed in the Capela Santa Maria in Curitiba, attended by members of the Orchestra of the Escola de Música e Belas Artes do Paraná - EMBAP - UNESPAR, conducted by Maestro Paulo Barreto on 09/22.


Esse evento aconteceu como parte da comemoração para celebrar os 120 anos de amizade Brasil Japão. A arte de Junko Ueno Garret tem levado a artista pelo mundo todo, em uma viagem musical emocionante. A pianista encanta a todos por onde passa com seu talento e simpatia.

This event happened as a celebration of the 120th anniversary of Brazil Japan friendship. The art of Junko Ueno Garrett has led the artist around the world in an exciting musical journey. The pianist charms everyone everywhere with her talent and friendliness.  
 
Nossa equipe da Revista Contemporartes teve um encontro exclusivo com ela. Confira a seguir a entrevista e conheça mais um pouco dessa incrível pianista.
Our team of Contemporartes Magazine had an exclusive meeting with 
her. Check out the interview and find out more about this amazing 
pianist.


Você começou a tocar piano com 3 anos de idade. Qual a sua primeira lembrança musical?
Eu lembro que meu professor organizou um recital, um recital bem simples, eu ainda lembro, eu era muito pequena, eu era  mais nova. Acho que eu toquei bem e lembro que me diverti muito nos primeiros meses.

You started to play the piano when you were only 3 years old. What is your first musical memory?
I remember that my teacher had a studio recital, a very casual recital and I still remember, I was very little and I was the youngest of course. I think I played okay and I enjoyed the first couple months.


Como você define sua música?
Esta é uma pergunta muito difícil porque a música significa muito para mim e eu tenho tocado piano a minha vida toda. Então a música é parte da minha vida e também uma parte da minha expressão, meu jeito para me comunicar com os outros; então minha música representa uma série de coisas e isto é muito importante para mim.

How would you define your music?
That’s a difficult question to answer because music means a lot to me and all my life I played the piano. So music is part of my life and also a part of my expression, my way to communicate to other people;  so it’s a lot of things and of course it’s very important to me.


Qual o momento mais importante da sua carreira?
Esta é uma pergunta muito difícil para mim porque eu tenho tantos. Eu estou certa de que você também tem muitos momentos importantes em sua vida. Mas provavelmente eu diria que foi no instante em que eu percebi que cada apresentação, cada momento é muito importante. Agora é um momento muito importante, então eu não posso mencionar um momento específico, porque cada oportunidade é importante. Minha carreira não poderá crescer, desabrochar se eu disser: “Ah, isto é muito fácil”.

What was the most important moment in your entire career?
That’s a very difficult question to me because I have so many. I’m certain that you also have a lot of important moments in your life too. But probably I’d say the time that I realized that each performance, each moment is very important. This is a very important moment now so if I don’t count that each moment, each opportunity is important.  My career doesn’t go any further if I say “oh this is just easy” it simply won’t blossom”.


Você hoje vive nos Estados Unidos. Do que mais sente falta do seu país natal, o Japão?
Acho que você espera uma resposta muito profunda. Mas honestamente, comida (risos!)!

You currently live in the United States, what do you miss the most about Japan?
For me to say something very deep but honestly, food (laughs!)!  


Que conselho pode dar aos jovens músicos?
É difícil dizer. Claro, a disciplina é muito importante. Se você vai a um concerto e vê um ótimo músico, você pode pensar: “Ah, aquela pessoa está só tocando, parece tão fácil”. Não, todos trabalham muito e isso é uma demonstração de treino e disciplina diária e só assim você pode chegar lá. Então não desista desse tipo de disciplina, por mais que seja difícil continuar. Eu mesma pratico várias horas por dia. Especialmente os mais jovens, estes devem trabalhar muito, muito duro porque temos de sacrificar algumas partes de nossa vida para atuar bem.

What advice could you give to the younger musicians?
It’s hard to say. Of course, discipline is very important, if you see something, go to a concert and you see a great musician and think to yourself “oh that person is just playing, quite easily” No, everybody works very very hard and that’s just daily practice and daily discipline and then you can do it. So don’t give up that kind of discipline because it’s hard to keep doing it.  I do still practice several hours a day. Specially for the younger people, they must work very very hard and also we have to unfortunately sacrifice some part of our life to do well, yes.

Sobre o Brasil:
“Eu aproveito a cultura e as pessoas são muito bacanas, afetivas, 
a comida é fantástica. É muito bom”.
About Brazil:
 “I enjoy the culture, your culture, and the people is very nice, warm heart, 
the food is fantastic. It’s very good”.

Então para você uma das coisas mais importantes quando se estuda algo, especialmente música é nunca chegar a um ponto em que se sinta satisfeito?
Exatamente. Há sempre alguma coisa para alcançar, quando você chega em um ponto, “ah, há mais que isso”,  então você alcança e de novo “ah, há mais que isso”, e mesmo que eu toque a mesma peça por muitos anos, toda vez que a toco descubro algo novo ou uma nova maneira de me expressar. Então sempre há um próximo nível para se atingir.

So you say that one of the most important things when studying anything, specially music is to never get to a point and be confortable with it?
Exactly. There’s always something to reach, Always when you get to a point you look up, “oh there’s more to go” and you reach it and “oh there’s more to go” and even though I play the same piece many times for many years, you see some pieces I started when I was 10 for instance and I still play the same piece and each time I play I discover a new thing or a new way of expression so there’s always a next level to reach.


Sua agenda está fechada até agosto de 2016. Ter uma carreira internacional é gratificante, mas com certeza também é muito cansativo. Quais são os prós e os contras de ser uma pianista internacional?
É muito bom que seja assim porque muitos músicos sofrem por não terem uma agenda cheia. É bom ter uma agenda lotada, eu aproveito e não vejo isto como uma coisa negativa. Eu tenho vidas diferentes, eu toco piano, eu tenho uma família e eu ensino na universidade.  É bom ter essa vida diferente. Então… só tenha uma vida equilibrada.

Your schedule is all full until 2016 august. Having an international career is gratifying, but also surely exhaustive. What are the pros and cons of being an international pianist?
It is so good to have it because many musicians struggle not to have a busy schedule.  So it’s very fortunate to me to have a busy schedule, I enjoy it and I don’t see a negative side to it.  I have different lifes, of course I play the piano, I have a family and I teach at the university. I have different lifes so I think it’s good for me to have a different life. So… just have a balanced life.



Qual é o músico que mais admira, o qual mais lhe inspira e por que? 
Tem muitos mas eu diria Andras Schiff. Ele é meu herói. Para mim ele é um pianista maravilhoso. E eu tive a oportunidade de tocar para ele. Ele foi muito gentil e sempre que vem tocar em Los Angeles eu vou assisti-lo. Sua música é ótima, não só ótima mas muito revigorante. E ele toca a mesma música de várias maneiras. Ele é conhecido por tocar Bach mas a cada interpretação ele traz uma nova ideia, como se tocasse pela primeira vez.

Who is the musician that you most admire, the one that inspires you the most and why?
Often there’s many but I’d say András Schiff. He’s my hero. To me he’s a wonderful pianist. And I had the opportunity to play for him. He was very kind to me and whenever he comes to Los Angeles to perform I see him. His music is great not just great but his music is also very fresh.  And he plays the same music many times. He’s known to be a Bach performer buy each time he brings a new idea like he sees the music for the first time.


Você estuda piano desde criança. Sempre teve certeza que essa era sua vocação e destino ou teve alguma dúvida em algum momento de sua vida?
Teve muita coisa que eu quis fazer, eu amo esportes, eu amo leitura; mas de alguma forma eu senti que a música era o melhor para mim. Era tão fácil, se comparada a arremessar uma bola. A música veio até mim tão naturalmente que eu nunca tive dificuldade para ler partituras e eu tenho ouvido absoluto[1]. Então, eu decidi tocar quando era ainda muito pequena.

You study piano since you were a little kid. Have you always been sure that this was your vocation and destiny or did you have any moment of doubt along the way?
I had a lot of things I wanted to do,  I love sports, I love reading; but somehow I knew music is best for me. It was so easy compared to throwing the ball. But music came to me  so naturally I never struggled to read sheets and I have perfect pitch1 so in a pretty young age I decided to play music.


Você tem algum sonho que não realizou ainda? Qual?
Eu não sei... talvez falar português (risos)!

Is there a dream you didn’t make true yet? If so what is it?
I don’t know... maybe speak Portuguese (laughs)!


Como é o seu trabalho na universidade (Occidental College)?
Eu ensino piano, eu tenho um grande estúdio e muitos estudantes. Eu leciono há mais de 20 anos.

How is your job at the university (Occidental College)?
I teach piano, I have a big studio and many students as well.
I teach for more than 20 years.




Aqui no Brasil convivemos com muitos descendentes japoneses e nos encanta a disciplina e perseverança do povo japonês. De que maneira essas qualidades ajudam no estudo da música?
Bem, eu nasci no Japão, pais japoneses, então você sabe, eu não tive escolha (risos!). Meu pai era super japonês, tudo tinha que ser certinho. Por exemplo, se nós estamos saindo de férias amanhã, quando eu estou nos Estados Unidos com meu marido,  eu posso sair a qualquer hora, mas com meu pai era “Ok, se nós vamos sair às 6h, temos que estar prontos 10 minutos antes”. Eu cresci assim, então... (risos).

Here in Brazil we have many Japanese descendants  and it fascinates us the discipline and perseverance in its culture. In which ways did these qualities help studying music?
Well, I was born in Japan, Japanese parents, so yow know, no choice (laughs!).  My dad was super Japanese, everything has to be a certain way. Like for instance, we’re going for vacation tomorrow at the lake, when I’m in the United States with my husband we can leave anytime but with my father was “okay we’re gonna leave 6 Am and we have to be ready 10 minutes before".


[1] Quem tem ouvido absoluto tem a capacidade de perceber e dar nome a cada uma das notas que chega ao seu ouvido.  Um em cada 10 mil músicos tem essa habilidade.
Who has perfect pitch has the ability to perceive and name each of the notes that they head. One in 10.000 musicians have this ability.
 (http://super.abril.com.br/ciencia/o-que-e-ouvido-absoluto)


Texto/Portuguese version: Vanisse Simone
Fotos: Izabel Liviski
Intérprete/Versão em inglês: Gabriel Alves
Trechos em japonês: Marcia Norie Nakaza Shiroma

Text: Vanisse Simone
Photos: Izabel Liviski
Interpreter/English version: Gabriel Alves
Excerpts in Japanese: Marcia Norie Nakaza Shiroma
  

立派なアーティストのインタビュー、JUNKO UENO GARRET、日本の総領事館に感謝します。


A Revista Contemporartes agradece ao Consulado Geral do Japão e sua equipe a oportunidade de entrevistar a pianista Junko Ueno Garret, essa artista admirável.

The Contemporartes Magazine thanks the Consulate General of Japan and his team a chance to interview the pianist Junko Ueno Garrett, this admirable artist.

  




2 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns, Vanisse e Gabriel.
Parabéns a todos nós, equipe da Contemporartes.
Show!!!!
Bel


25 de setembro de 2015 18:35
Vanisse Simone disse...

Foi um grande prazer fazer esta matéria junto com vocês, Bel e Gabriel. Além disso, a Junko Ueno Garrett é uma pessoa muito especial, uma artista sensível e maravilhosa! Que venham outras oportunidades lindas como essa!

26 de setembro de 2015 11:41

Postar um comentário

Seja educado. Comentários de teor ofensivo serão deletados.