quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Trajetória do grupo Neblina sobre trilhos


O objetivo primordial desta matéria inicial para a revista Contemporartes é o de compartilhar com leitores, a formação do grupo de pesquisa e extensão: Neblina Sobre Trilhos.

Em 2007, alguns alunos do Centro Universitário Fundação Santo André (CUFSA) se conheceram num período de greve da Faculdade de Letras Filosofia e Ciências (FAFIL/CUFSA) e uma das questões em pausa foram os interesses em comum de pesquisas. Após muita conversa decidimos (os alunos Carolina Alamino (história), Demócrito Nitão Mangueira Junior (história), Emerson dos Santos Queiroz (sistemas de informação), Fabio Luis Cardoso (história), Marina Rosmaninho (ciências sociais), Sebastiana Fontes (ciências sociais) e Soraia Oliveira Costa (ciências sociais)) formar o grupo de pesquisa.

A primeira necessidade encontrada foi o vínculo institucional para ter apoio de professores que se interessariam pelos temas. Os professores Odair de Sá Garcia, mestre em Gestão Educacional pela UNICAMP e a Terezinha Ferrari, doutora em Ciências Sociais pela PUC-SP, aceitaram conceder apoio e orientações aos pesquisadores. Por meio do Núcleo de pesquisa e extensão Cidade, Trabalho e Técnica (CITTEC), coordenado pela Profa. Terezinha. Assim, foi criado formalmente o grupo institucional de pesquisa e extensão História Sobre Trilhos do CUFSA (HST) com a pretensão de:
  • Fazer uma reconstrução histórica de uma parte da malha ferroviária paulista, o sistema de transporte iniciado pela São Paulo Railway, inaugurado em meados da década de 1860, como também analisar o funcionamento dos vários sistemas tecnológicos utilizados na implantação da rede ferroviária paulista ao longo do século XX;
  • Abordar a organização do trabalho na manutenção e funcionamento da rede ferroviária no trecho do planalto ao porto de Santos, até se chegar ao início das fábricas e consolidação de cidades em seu entorno;
  • As mudanças ocorridas no próprio processo de industrialização e organização do trabalho nestas indústrias estudadas assim como mudanças no sistema de informação e tecnologia do setor ferroviário influem para figurar o quadro que este trecho ferroviário se encontra nos dias atuais;
  • Realizar uma analise sociológica, histórica e tecnológica dos impactos das mudanças dentro do mercado e novas maneiras que empresas e indústrias adotaram para obter a balança favorável, seja através da injeção de capital no segmento da tecnologia ou na procura de novos sistema de informação, organizacionais dentro do espaço do trabalho, afeta o cotidiano e a paisagem das cidades em que a ferrovia está instalada.

A multidisciplinaridade do projeto promove também o entendimento de que todas as áreas do conhecimento precisão ser utilizadas. A História sobre trilhos era neste viés a formação de um mosaico em que cada problemática especifica completa a analise da totalidade. Desta forma as ciências sociais e a tecnologia formam uma unidade.

Com a intenção de agregar as diversas áreas do conhecimento uma das linguagens que se pretende utilizar é a produção de um vídeo documentário, pois ele proporciona um dinamismo que demonstrará a unidade de diversas áreas do conhecimento enquanto percorremos o caminho dos trilhos.

***

Posterior a consolidação do grupo de pesquisa e extensão História sobre trilhos, a Pró-reitoria de extensão do CUFSA (PROPPEX) divulgou as idéias elaboradas pelo grupo HST, para o envio do Edital PROEXT 2009/06 MEC/Sesu e surgiu a possibilidade de uma parceria com a Universidade Federal do ABC (UFABC). A proposta era para ser reelaborado um projeto de um vídeo documentário de acordo com a verba e tempo de execução. Por meio de afinidades do conteúdo elaborado e com a produção audiovisual foi decidido entre os integrantes do grupo HST a participação dos pesquisadores: Demócrito, Marina e Soraia, com auxilio dos orientadores: Cláudio Luiz Penteado, doutor em Ciências Sociais PUC-SP e professor Adjunto da UFABC, Odair de Sá Garcia e Terezinha Ferrari.

Elaboramos o projeto audiovisual intitulado “Transformação sensível, neblina sobre trilhos” e foi aprovado e, assim, consolidada a parceria do CUFSA e da UFABC para a produção do projeto e do grupo de pesquisadores que se uniram em janeiro de 2010. Os componentes oficiais que estão em sintonia produzindo-o são a profa. Ana Maria Dietrich doutora em História Social pela USP e professora Adjunto da UFABC, o prof. Dr. Cláudio Penteado, a profa. Dra. Terezinha Ferrari, o prof. Ms. Sá Garcia e os alunos pesquisadores são: André Mazoli Lima (discente Física/ UFABC), Demócrito Nitão (discente História/ CUFSA), Paulo Akio Duarte (discente Engenharia Urbana e Ambiental / UFABC), Marina Rosmaninho (socióloga /CUFSA), Soraia Oliveira Costa (socióloga/ CUFSA).

O documentário Transformação sensível, neblina sobre trilhos mostrará a Vila de Paranapiacaba, construída pela São Paulo Railway Company Ltd. (SPR) para abrigar os trabalhadores do sistema funicular, a partir de entrevistas dos ferroviários, seus parentes e moradores da vila, além de pessoas ligadas ao turismo, estudiosos e turistas.

Este documentário busca estabelecer um diálogo entre passado e presente, narrados a partir da viagem de trem para contar a História da SPR e de seus trabalhadores na Vila de Paranapiacaba. Nossa equipe de pesquisadores busca fazer o levantamento das motivações e dos movimentos históricos que levaram ao descontentamento, desemprego e desencanto dos antigos e atuais moradores da Vila de Paranapiacaba, pois mesmo pelo fato de ser considerada um patrimônio Histórico pelo Governo Federal, Estadual e Municipal, pouco se é difundido os ensinamentos sobre a história da Vila, já que o baixo e mal direcionado incentivo ao turismo não se manifesta como suficiente aos atuais moradores, muito menos pedagógico à história da Vila, que um dia foi um marco da pujança e da tecnologia em solo do Estado de São Paulo e do Brasil, por meio da sua repercussão no mundo foi amplamente reconhecida.

Na próxima postagem iremos divulgar mais sobre o conteúdo e o andamento do documentário, aguarde as novidades e embarque nesta viagem de trem!

Assista também ao vídeo de uma exposição que o grupo HST realizou em 2009: http://vimeo.com/7625467


Soraia O. Costa é graduada em Ciênciais Sociais pelo Centro Universitário Fundação Santo André (2009). Pesquisadora e documentarista do projeto Neblina sobre Trilhos sobre a memória ferroviária de Paranapiacaba - apoio institucional Centro Universitário Fundação Santo André (CUFSA), Universidade Federal do ABC (UFABC) e Ministério de Cultura e Educação MEC/SEsu. Funcionária superintendente de operações e pesquisas econômicas do Intituto Brasileiro da Economia, Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (IBRE/FGV-SP). Participam dessa coluna o historiador  Demócrito Mangueira Nitão Junior FSA/UFABC e a socióloga Marina Rosmaninho FSA/UFABC.

2 comentários:

Ana Dietrich disse...

parabéns, soraia, parabéns Neblina. Sintam-se bem vindos e acolhidos nesse espaço que agrega artistas, escritores e estudiosos das Ciências Humanas.
Bjs

8 de setembro de 2010 16:37
blognautillus disse...

Parabéns ao grupo! Parabéns pelo tema escolhido! Estudar um pouco de nossa história e deixa-la viva, história com H!
Com certeza não deixaram(ão) o trem passar!!!
Boa sorte! Bom estudo!
Valmir Junior

8 de setembro de 2010 16:48

Postar um comentário

Seja educado. Comentários de teor ofensivo serão deletados.