domingo, 24 de novembro de 2013

Cultura silenciada



Caros leitores, como de costume, as vezes abro este espaço para possibilitar aos camaradas a divulgação de seus trabalhos e com respeito a sua seriedade, compartilho nesta coluna parte da pesquisa que o militante e historiador Augusto Lopes desenvolve. De forma dialógica construímos o texto sucinto e objetivo, com a preocupação de sair do jargão acadêmico e possibilitar a maior difusão de sua leitura. Fiquem a vontade para comentar na página, debater, divulgar...

Até mais,

Soraia Oliveira Costa.

Augusto, conte para nós o que te motivou a pesquisar sobre o tema e os pontos que julga cruciais nele?

Mostrar o fenômeno da globalização não somente pelas trocas de poder, mas mostrar a história dos povos colonizados que muitas vezes ficam a margem da história oficial, uma história silenciada, não contada devido a manipulação da cultura hegemônica. Assim, meu objetivo é o de contribuir para as discussões acerca dos marcos teóricos e os conceitos sobre a cultura da diáspora e da hegemônia. 

Busco e analiso dados a respeito da relação entre a escravização africana e os interesses capitalistas para se formar esta mão-de-obra, principalmente, no fim do século XV e no início do XVI. 

Para além dos parâmetros eurocêntricos e excludentes, me incluo enquanto intelectual periférico, é de onde precede minha formação e conhecimento que deposito nesse trabalho, a história oficial não se deu ao trabalho de me incluir em seus capítulos, talvez apenas de forma estereotipada e preconceituosa, abasteceu-se do que lhe convém e descartou o restante como supra-importância. Não busco criar métodos ou caminhos permanentes de pesquisa, apenas contribuir e auxiliar no debate entre as vozes há tempos silenciadas, as vozes dos oprimidos. 

Compartilhamos aqui uma poesia do Solano Trindade, que versa sobre os anseios da pesquisa em questão:

"Eu canto aos Palmares
odiando opressores
de todos os povos
de todas as raças
de mão fechada
contra todas as tiranias!"

Beth Lesser, fotógrafo canadense
Fonte: http://www.stylemag-online.net/2009/02/03/dancehall-the-rise-of-jamaican-dancehall-culture/


Para compreender as relações existentes entre África, América e Europa, trago aqui o autor Stuart Hall que trabalha com o fenômeno sócio-histórico para explicar os movimentos populacionais em dois momentos históricos distintos. “dupla diáspora, africana no Caribe e caribenha na Grã-Bretanha".



Ska - sound system em Kingston na década 1960.   
http://mediapotluck.blogspot.com.br/2008/08/prince-buster-fabulous-greatest-hits.html
Torna-se então, necessário uma análise conceitual de cultura que se desvincule dos paradigmas eurocêntricos. Stuart Hall encara cultura no seu sentido pluralista e entende sua importância para compreensão do contexto em sua amplitude, desse modo, a cultura: 

“Está perpassada por todas as práticas sociais e constitui a soma do inter-relacionamento das mesmas. Desse modo, a questão do que e como ela é estudada se resolve por si mesma. A cultura é esse padrão de organização, essas formas características de energia humana que podem ser descobertas como reveladoras de si mesmas – “dentro de identidades e correspondências inesperadas”, assim como “descontinuidades de tipos inesperados” – dentro ou subjacente a todas as demais práticas sociais. [...] começa “com a descoberta dos padrões característicos” (HALL, 1992:127)

Desse modo, como salienta Hall, sigo a linha teórica que abrange cultura como uma construção coletiva oriunda das relações da vida social, consciente ou inconscientemente, de forma inesperada ou previamente construída, esperada e intencional.

"Iremos descobri-los não na arte, produção, comércio, política, criação dos filhos, tratados como atividades isoladas, mas através do “estudo da organização geral em um caso particular”. Analiticamente, é necessário estudar “as relações entre esses padrões”. O propósito da análise é entender como as interpelações de todas essas práticas e padrões são vividas e experimentadas como um todo em um dado período: “essa é sua estrutura de experiência” (HALL, 1992:127)

Desse modo, me identifico com o conceito pluralista abordado por HALL que parte da análise especifica e microespacial ampliando o campo de pesquisa para o macro espacial, ou seja, as relações interpessoais da vida cotidiana estão vinculados a uma gama de pontos que se intercruzam e interligam-se em sociedade globalizada, por fim, identificar os modos de resistência, existência, criação e submissão a “ordem dominante”, sendo assim, o estudo propões uma análise que não caia nas discussões conceituais exacerbadas que lhe faltam o humano em movimento ou o ser social, como também, identificar as diferenças culturas provenientes dessas relações inter-humanas, para que assim, tratemos de sujeitos reais e não apenas concepções estereotipadas cobertas de preconceitos morais.

Bob Marley & The Wailers.
http://www.lastfm.se/music/Bob+Marley+&+The+Wailers/+images/18722345

As imagens aqui ilustradas, retratam os momentos da vida social jamaicana e de sua cultura. Tanto na música, nas manifestações culturais e artísticas, como no contexto cotidiano. 

Cena do filme Rockers.
http://www.blackandbrown.es/2012/01/rockers-jamica-roots-culture-and-music/
O documentário desenvolve uma pesquisa sobre a cultura jamaicana e sua produção musical, o contexto histórico e sua difusão para o mundo. Recomendo assistirem, inclusive, foi o que me instigou a iniciar uma pesquisa sobre a cultura jamaicana e suas importantes formas de resistência e existência coletiva que são silenciadas.   




Referências bibliográficas 

HALL, Stuart. Da Diáspora – Identidades de Mediações Culturais. Ed. UFMG, MG, 1992

Augusto Lopes, graduando em História, tem como orientador para desenvolver seu projeto de iniciação científica o professor Salomão Jovino. Trabalhador, atua como professor de história na rede estadual e privada. Amante da musicalidade afro-latina, estuda e treina percussão, violão e canto. Conta que para estudar e montar as aulas, tem que tirar de perto seus instrumentos para não dispersar.   



2 comentários:

vihgatti disse...

Adorei, cultura negra e stuart hall.. massa!

25 de novembro de 2013 20:50
Milena Silva disse...

Parabéns meu parceiro! Estar com você nessa pesquisa foi uma honra!

4 de dezembro de 2013 14:03

Postar um comentário

Seja educado. Comentários de teor ofensivo serão deletados.